Descobrir a nossa Cidade (4 e 5 anos)

Lisboa, a Cidade antiga

“Mergulhemos nesta luz e deixemo-nos seduzir pela magia desta cidade sem par!”

Começámos a descoberta da nossa cidade pelo Castelo de S. Jorge que domina como uma acrópole a codade, o porto e o rio. “A nossos pés situa-se Alis Ubbo, a baía amena dos comerciantes fenícios…” a quem a cidade ficou a dever a fundação e o nome.

Descendo a enconsta do Castelo, de repente as ruas passam a cruzar-se em anglo recto, as casas parecem todas construídas de modo igual. Sete ruas largas ao longo do vale, cruzadas por outras tantas ruas, ligam o Rossio ao Terreiro do Paço. Esta é a inegável e indiscutivelmente a sala de visitas, a entrada principal da cidade, na qual Lisboa recebe os seus visitantes de braços abertos.

A par da descoberta é inevitável, por ser indispensável e por associação, a História, a Geografia, os monumentos, etc.

O que falta dramaticamente em Portugal são orientações de cultura. Esse é um dos problemas centrais do ensino. Só se ensina aquilo que se é. Professores sem erudição nem hábitos culturais não podem educar para o interesse pela leitura, pela ciência, pelo teatro, pelo cinema, pela música, pela pintura, pela dança… pela História!

O sucesso escolar é necessárimente sucedâneo natural e espontâneo de um elevado nível cultural. Este não se transmite por osmose mas aprende-se na convivência e exemplo dos educadores. As necessidades de cultura devem ser incutidas desde muito cedo. O NOSSO COLÉGIO tem tido desde sempre uma orientação pioneira e ímpar nesse sentido. A nossa experiência tem revelado nos antigos alunos a sua mais valia e é grande a satisfação que temos sempre que sabemos dos seus sucessos.

Integrado no Projecto cultural “À descoberta da nossa cidade”, fomos passear pela Lisboa dos monumentos históricos.

Fomos ao Castelo de S. Jorge onde fizemos uma roda com as professoras e dançamos ao som de música medieval. Vimos a Bandeira de Portugal e da cidade de Lisboa. Cantámos o hino!

Das ameias do Castelo vimos a baixa, a ponte, o rio com os seus barcos, a cidade viva a nossos pés.

Fomos à Sé, à Baixa Pombalina, viemos junto ao rio, vimos a Ponte, chegámos ao Colégio já esfomeados mas felizes pelas descobertas…

Foi uma maravilha!

Uma escola activa é também um espaço aberto à criatividade, à improvisação, à experiência.

Nem tudo estava planeado, mas tirámos partido de tudo!…

Um plano é substituído por um novo plano, mais rico, feito à medida. Esta é uma capacidade, uma mais valia, que O NOSSO COLÉGIO oferece. É a possibilidade de pôr em prática projectos divertidos e diferentes que ajudam as crianças a gostar de investigar e aprender.

Prepará-las para uma vida muito competitiva, cinzenta e standardizada.

O que um aprende, todos sabem. No NOSSO COLÉGIO recebem o conhecimento que os nossos planos imprimem. Não mais terão oportunidade de receber no ensino primário e secundário (esses, já pardamente standardizados, massivamente ordenados) conhecimentos sobre as nossas gentes, a nossa cultura, a nossa História de uma forma tão rica, divertida e interactiva.